PROGRAMA

Estes são alguns dos artistas que irão compor os vários momentos do Azgo deste ano. Aguarda a programação detalhada.

 

 

 

 

Sands é o jovem cantor que chamou a atenção para Suazilândia.
Com um som versátil, suave e rítmico, Sandziso Matsebula conquistou o que nenhum outro Suazi conquistou antes. Com seu hit “Tigi” – cantado em siSwati, o artista foi muito bem recebido nas rádios sul-africanas e teve mais de um milhão de acessos no YouTube.
Sua trajetória começou quando estava a terminar a escola secundária e seu cunhado o deu uma guitarra e o ensinou alguns acordes. Ele então começou a explorar o instrumento e ganhou confiança para estudar música e se apresentar.
Depois de muitos esforços e dedicação, seu álbum “Sands of Time” toca aqueles com gosto refinado que se atentam às letras escritas com o estilo próprio do artista.
Sands, que conta com uma agenda muito ocupada, carrega sua cultura em sua música com muito orgulho.

Moonchild Sanelly Popularmente conhecida pelo hit “Makhe – feat DJ Maphorisa” (https://www.youtube.com/watch?v=QxlC3QUFeKk), cresceu em Port Elizabeth, na província de Eastern Cape, Na África do Sul. Seu amor pela música tornou-se evidente quando Sanelly encontrou o amor frente à câmera. Seu amor pelo jazz, hip-hop e kwaito foi influenciado por suas experiências sociais na cena musical de Durban. Ela se apresentou ao lado de artistas como Gcina Hlope, Busi Mhlongo e Madala Kunene. Ela também colaborou com DJ Maphorisa, DJ Shimza, BLK JKS, Thandiswa Mazwai. Mais recentemente, ela trabalhou no espaço Gqom e teve vários sucessos incluindo tours internacionais com artistas renomados como os Gorillas e Die Antword.

Moonchild Sanelly reflete o espírito de inclusão, diversidade, celebração cultural e também percorrera toda a região da África Austral e Ilhas Reunião parte do Igoda Circuito e festivais da qual o Azgo é membro fundador.

LiNDiGo é um grupo musical da Ilha da Reunião. O grupo Maloya, fundado em 1999, é liderado por Olivier Araste, cantor que vem da Paniandy. A banda lançou quatro álbuns, sendo o mais recente “Maloya Power”, em 2012.

Com uma idade média de trinta anos, os membros da Lindigo estão teimosamente observando o passado. No entanto, sua abordagem não se prende à nostalgia, nem aos grilhões de uma memória estéril. As fundações servem de impulso e as raízes constroem o futuro.